Autor: Norton Juster
Ano de Publicação: 1999
Editora: Companhia das Letras

Esse é um dos meu livros favoritos, ele meche muito com a imaginação do leitor, e a cada página que você lê é uma descoberta incrível! A capa em si encanta qualquer leitor, e o livro tem muitas figuras legais, você pensa uma coisa e quando olha a imagem é totalmente diferente. 
Legal mesmo são as personagens, totalmente diferentes e malucas do que estamos acostumados a ler. Imagina você ir a uma feira de letras, conhecer a cidade Calmaria, onde a única coisa que se pode fazer é descansar, e muitos outros lugares esquisitos, mágicos e interessantes ao mesmo tempo. Se você gosta de livros que faz com que você se sinta lá no mundo da lua, esse livro é uma boa dica!

Se ele soubesse o que fazer da vida, nada disso teria acontecido. Mas ele não via graça em coisa nenhuma e achava que tudo era uma grande perda de tempo. E só porque na hora não tinha nada melhor para fazer, Milo acaba embarcando numa viagem em que não passará por nenhum lugar-comum. Conhecerá, por exemplo, uma cidade cuja economia se baseia na produção e no comércio de palavras. E vai cruzar com personagens um tanto desagradáveis: a Dúvida Atroz, a Desculpa Esfarrapada, em ministro especializado em empurrar com a barriga... Mas vai conhecer também personagens de bem com a vida, a como a Doce Rima e a Razão Pura.
Ao voltar para casa, Milo começa a achar as coisas muito interessantes. Mas se ele tem motivo para se sentir assim, eis uma questão em aberto - porque, afinal, tudo depende de como você vê as coisas.
                                        Resenha feita por Gabrielle Garcia


Um Comentário