Autor: William Peter Blatty
Ano de Publicação: 2015 (edição nova)
Editora: Agir

Chris MacNeil era uma grande atriz famosa, alugara uma casa Georgetown, Washington. A casa era velha, tinha um ar de sombria, mas ao mesmo tempo agradável. Chris a alugara por que estava começando um novo filme, onde a mesma não estava gostando muito do roteiro.
A casa abrigava quatro pessoas, Chris, Regan, sua filha de 12 anos, Sharon, sua amiga e assistente e os empregados Willie e Karl. E claro, Chris recebia suas constante visitas de amigos e o diretor do filme Burk Dennings. Apesar de ser grosseiro e adorar uma bebedeira, Dennings era muito querido para Chris.
E é assim que a vida delas irá mudar da noite para o dia. Sem menos esperar, o mal chega para as destruir, testar suas crenças e limites.



Era madrugada do dia 1º de abril, Chris estava estudando suas falas quando começou a ouvir arranhões do sótão. Pensando que era brincadeira de Regan, Chris foi observa-la em seu quarto e percebeu imediatamente que o quarto estava extremamente gelado, mas o resto da casa estava em temperatura normal. Estranhou, mas aquilo não lhe perturbou. Percebeu que Regan dormia profundamente. Os barulhos não cessaram, provavelmente deveria ter ratos no porão.
O dia chegou e tudo ocorreu normalmente, Chris foi as filmagens, Regan passou o dia com Sharon. A noite não houve perturbação nenhuma. Por enquanto.
Os dias foram passando e Regan foi ficando cada vez mais estranha, não falava muito, tinha um ar de tristeza e resmungava que a cama chacoalhava e não conseguia dormir, dizia também que tinha um amigo Capitão Howdy. Chris
decidiu levá-la ao médico, queria saber se tinha algo acontecendo com Regan. Começou então uma série de exames, todos eles com resultados negativos, mas os médicos sempre tinham uma explicação para tudo, isso e aquilo podem não ter sido afetados, e lá iam eles com mais exames para Regan. Chris não tinha uma crença, era ateia e por este motivo acreditava fortemente que sua filha estava com sérios problemas psicológicos. 
A cada dia que passava Regan estava cada vez pior, sua pele estava horrível, falando obscenidades, uma linguagem desconhecida e em perfeito conhecimento, falava sobre Deus e o Demônio e um dia Chris jurava de pés juntos que vira a cabeça de sua filha dando uma volta completa pelo corpo. No fim de tudo, mesmo depois de ter passado em vários médicos, nenhum deles souberam o que dizer ou explicar o que estava acontecendo com Regan, eles teriam que interna-la numa clínica ou aconselharam Chris a chamar um padre e fazer um exorcismo.
Um exorcismo? Como? Chris nem sequer acreditava em nada dessas coisas, como poderia chamar um padre para isso? Mas era isso ou internar sua filha.
Primeiramente preciso dizer que a capa deste livro está simplesmente divina! Quem não concorda comigo vai? Toda vez que pegava para ler babava na capa antes.
Gostei do livro do começo ao fim, apesar de no começo ser um pouco monótono, pois conta toda a trajetória do Padre que está de férias, até ele começar a sentir uma presença forte, seu inimigo está voltando.
Achei o filme bem fiel ao livro até, pois confesso que só assisti o filme após ter lido e foi amor a primeira vista! Aquele vômito verde, a cabeça virando, a Regan descendo a escada de costas, tudo bem falso, amei amei amei.
Em algumas partes do livro foi de momento de tensão, mas nada assustador a ponto do coração acelerar. Não conseguia me desgrudar dele.
Apesar da capa divina, a diagramação do livro está bem simples, as folhas são amareladas e as letras medianas.
E você? O que tem a me dizer sobre o filme e o livro?

Trailer


Para embarcar na leitura

Deixe um comentário