Autor: David Safier
Ano de Publicação: 2013
Editora: Planeta

Quem disse que é fácil ser uma família feliz? A família Wunschmann sabe muito bem o quanto é grande essa dificuldade.
Emma dirige uma livraria infantil que está a beira da falência e possui apenas uma funcionária, Cheyenne, uma hippie de 60 anos. Emma tenta se convencer todos os dias que sua livraria está ótima e sua vida também, mas a ficha logo cairá usando panos caros e saltos altos.
Ao sair de sua livraria, esbarrara em uma "ex-colega" de trabalho, que ganhara sua promoção, pois Emma estava cega de amor e esperando um filho, então perdera sua oportunidade. Emma era casada com Frank, um homem viciado em trabalho, desistira de ser advogado e começara a trabalhar em um banco e nunca mais parou, não tinha nunca tempo para a família, só vivia em seu celular e computador, nem mesmo dormia com sua mulher. Tinham dois filhos, Max e Fee.



Max vivia no mundo dos livros, Emma achava que era bom o filho se interessar por literatura, mas muito em excesso é ruim não é mesmo? Max vivia preso em suas leituras e não era nada sociável, o que será que se passava em sua cabeça? 
Fee está no auge da adolescência, não se importa com nada, apenas em encontrar um amor. Ia de mal a pior na escola, fumava maconha escondida e detestava sua família, na verdade sentia muita vergonha de seus pais e vivia brigando com sua mãe.

Lena, "ex colega" de Emma, aparecera em sua cidade e a convidara para um jantar com Sthefany Meyer e prometera que a escritora daria autógrafos em sua livraria. Parecia impossível, mas Emma se deixou levar pela felicidade que estava sentindo. Nada poderia dar errado aquela noite, tinha que fazer com que sua família participasse, afinal esta era uma noite importante, um passo para mudança e mais, eles iriam vestidos de monstros para este jantar, Lena disse que seria divertido, que chamaria a atenção da autora.
E após muito tempo discutindo e quase indo amarrados, lá estava a família Wunschmann vestidos de monstros, como prometido! Emma de vampira, Frank de Frankenstein, Max de Lobisomem e Fee de múmia. Mal sabiam eles que esta noite mudaria para sempre.
Não bastasse o mico que pagaram pois eram as únicas pessoas fantasiadas, Lena de fato não queria ajudar e sim esfregar o poder que tinha, do emprego que pegara de Emma. Aquela mulher era muito cruel.
Após não aguentar mais tanta falação de seus filhos, que só saiam baboseiras de suas bocas e a envergonhavam cada vez mais e seu marido não parava de olhar bunda da escritora famosa, ele nem ao menos disfarçava, Emma decidira ir embora e começou a desabafar, estava chorando e dirigindo ao mesmo tempo, ninguém se atrevia a falar. Emma vomitava as palavras tão rapidamente que por pouco não atropelara um mendiga no meio da rua, pois não estava prestando atenção enquanto dirigia. 
Depois de um quase atropelamento, a mãe colocara todos para fora do carro e começara a desabafar mais ainda, eram sentimentos tão guardados que até ela se surpreendia. Enquanto esta cena acontecia, a mendiga se aproximou da família onde começou a falar os defeitos de cada um, cortando o falatório de Emma. Então a velha (que logo iremos conhecer como Baba Yaga), tirou um amuleto e pronunciou palavras incompreensíveis e que logo eles entenderiam. 
"Quanto mais se ama alguém, mais a gente quer matá-lo."
A velha tinha os amaldiçoados. As fantasias que estavam vestindo não eram mais fantasias, eram suas peles. A família Wunschmann era uma verdadeira família de monstros. Após a maldição, a bruxa comentara que poderia morrer em três dias, pois sua missão fora cumprida e fugiu. Mas que missão? E agora? A bruxa fugira e eles precisavam recuperar sua forma de humanos. 
Tinham três dias para encontrarem a bruxa e fazer com que ela desfaça o feitiço, mas esta jornada não será nada fácil. No meio do caminho eles encontrarão animais falantes, Deuses mitológicos e até mesmo Drácula. Segredos serão revelados e a família Wunschmann passará por altos e baixos, quase desintegrando, mas se permanecerem com o amor aceso, o impossível será possível. 

Sabe aquele livro de leitura leve que deixa você encantada a cada página? Foi exatamente isto que ele me proporcionou. Foi um achado na Bienal deste ano. 
Adorei conhecer a família Wunschmann, me encantei com todos os personagens, inclusive Fee com sua personalidade mega forte.
Apesar da leitura leve, o livro aborda temas pesados como bullying, traição, desconfiança, estrutura familiar. Mas que acima de tudo prova que o amor é mais forte e com ele é possível superar tudo.
O livro é bem agitado, não teve nenhuma parte que ficasse monótona, o tempo todo eles se metiam em confusão, segredos iam sendo revelados a cada momento, pois por mais que morassem juntos, não se conheciam de verdade. Acredito que esta maldição acabou sendo uma bênção para esta família. Pois se não fosse por isto ainda levariam a vida que tinham, nunca ia mudar. 
O livro tem diversas visões dos acontecimentos, mas a maior visão que temos é de Emma, já que ela fora feita especialmente para Drácula (terão muito mais surpresas).
Então o fato de Baba Yaga ter transformado eles em monstros não foi por acaso, ela tem uma missão, e estava muito velha e quase perdendo as esperanças, quando aquela família, que se encontravam num momento frágil, apareceu e ela não perdeu a oportunidade. 
A chave para a solução estavam neles mesmos e demoraram muito para descobrir o segredo. Já que Baba Yaga fugira e não dera nenhuma pista de como desfazer o feitiço.
Também conheceremos Jaqueline, a garota que pratica maldade com Max na escola e também descobriremos que ela também vive uma vida triste com sua família, uma situação bem pior que a família de Max. 
Isso nos faz refletir que se achamos nossa família ruim é por que não conhecemos a família de outra pessoa.
A edição do livro está uma graça, as folhas são amareladas e as letras são pequenas, quando faz a separação de uma cena para a outra é usado um morcego, o livro contém imagens também, o que da um charme. 
O final é um pouco previsível, mas nada que desanime a leitura. Para quem está de ressaca literária é uma ótima pedida.


Para embarcar na leitura:







Deixe um comentário